Dungeons and Dragons

Dungeons & Dragons (abreviado como D&D) é um RPG de fantasia medieval desenvolvido originalmente por Gary Gygax e Dave Arneson, e publicado pela primeira vez em 1974 nos EUA pela TSR, empresa de Gary Gygax. Hoje o jogo é publicado pela Wizards of the Coast. Suas origens são os wargames de miniaturas. A publicação do D&D é considerada como a origem dos RPGs modernos.

Jogadores de D&D criam personagens que embarcam em aventuras imaginárias em que eles enfrentam monstros, reúnem tesouros, interagem entre si e ganham pontos de experiência para se tornarem incrivelmente poderosos à medida que o jogo avança.

O D&D se destaca dos wargames tradicionais por permitir que cada jogador controle um personagem específico, ao invés de um exército. Miniaturas ou marcadores em um tabuleiro quadriculado são usados ocasionalmente para representar esses personagens.

O D&D também apresentou o conceito de Mestre de Jogo (Dungeon Master ou DM, no original), que atua como juiz e narrador e é responsável por manter o cenário ficcional do jogo e aplicar as regras do jogo.

Desde seu lançamento, D&D dominou a indústria americana de RPG. Em 1977, o jogo foi dividido em duas versões: A mais simples, chamada Dungeons & Dragons, e a mais complexa, Advanced Dungeons & Dragons (Abreviada como AD&D). Em 2000 a versão mais simples foi descontinuada, e a versão complexa foi renomeada como Dungeons & Dragons com o lançamento da 3ª Edição.

A versão atual do jogo no Brasil, lançada em Julho de 2003, é a Dungeons & Dragons v3.5 (também conhecida como D&D 3.5).

A Wizards of the Coast já tem o lançamento da 4ª edição nos EUA e os comentários que se ouve é que o jogo ficou mais “jogável”, menos tabelado e com mais opções de personalização dos personagens. Como ainda não tive acesso aos livros, fica difícil de dizer algo mais concreto sobre ele.

No Brasil o Advanced Dungeons & Dragons foi lançado pela primeira vez em 1994 pela Editora Abril, e mais tarde pela Devir Livraria que retomou os lançamentos em 2001 com a publicação da 3ª Edição. Segundo a Devir, a 4ª edição traduzida deverá chegar ao mercado no início de 2009.

 

Visão Geral do Jogo

Dungeons & Dragons é um jogo bem estruturado. Tipicamente, cada jogador controla um único personagem. Geralmente atuando em um grupo, cada personagem tem uma área de especialização.

Desde o AD&D, Dungeons & Dragons tem suas regras básicas divididas em três livros. Estes são o Livro do Jogador, o Livro do Mestre, e o Livro dos Monstros.

                   

Os únicos materiais necessários para jogar são estes livros de regras, uma ficha de personagem para cada jogador e alguns dados poliédricos. Há quem diga que o Livro do Jogador pode ser usado para se jogar, sem a necessidade dos outros, porém eu acho que posso dizer que não é bem assim. Ele serve ao propósito de ter todas as regras para a montagem do personagem e várias regras relacionadas à combate (parte essencial do jogo), mas como todo grupo precisa de um Mestre, o livro dos mestres é essencial, para que o jogo transcorra normalmente.

A edição mais recente também assume o uso de miniaturas ou marcadores sobre uma superfície quadriculada, itens que eram opcionais nas edições passadas. Muitos outros itens estão disponíveis para melhorar o jogo, alguns dos mais populares, embora opcionais sejam livros de expansão de regras, aventuras prontas e cenários de campanha.

 

Mecânicas de Jogo

Antes de o jogo começar, cada jogador cria o seu próprio personagem e marca seus detalhes em uma ficha de personagem.

Primeiro, o jogador lança os dados para determinar as habilidades de seu personagem, que consistem de força, destreza, constituição, inteligência, sabedoria e carisma. O jogador, então, escolhe uma raça (espécie), uma classe de personagem (tipo uma profissão), uma tendência (um código de ética e moral), e um numero de perícias e talentos para melhorar e personalizar o personagem.

Durante o jogo, os jogadores descrevem as ações de seu personagem, como conversar com outros personagens, lutar contra oponentes ou abrir uma fechadura, e o Mestre do Jogo descreve o resultado de suas ações. Ações triviais, como escrever uma carta ou abrir uma porta destrancada, geralmente são bem sucedidas automaticamente. Os resultados de ações mais complexas ou perigosas são determinadas pela rolagem de dados. As habilidades e perícias do personagem contribuem ao resultado dos dados.

Conforme o andamento do jogo, cada personagem muda e melhora conforme ganham experiência. Os personagens ganham (ou algumas vezes perdem) experiência, perícias, dinheiro, e podem até mesmo mudar de tendência ou adicionar outras classes de personagem. A principal maneira de progredir é ganhando Pontos de Experiência (XP) quando derrotam um inimigo ou superam um obstáculo. Adquirindo XP suficiente, o personagem pode avançar um nível, o que garante mais habilidades e perícias.

Os Pontos de Vida (PV) são uma medida da vitalidade e resistência a castigos físicos de um personagem e são determinados pela sua classe, raça, nível e constituição. Eles podem ser perdidos quando um personagem se fere em combate ou em alguma outra situação perigosa. A perda de PV é a forma mais comum de um personagem morrer em um jogo.

 

Aventuras e Campanhas

Um jogo típico de Dungeons & Dragons consiste de uma aventura, que é o equivalente a uma história. Aventuras geralmente são descritas por um Mestre ou são usadas aventuras prontas, que são publicadas em forma de livros. Aventuras publicadas geralmente incluem uma história de fundo, mapas e objetivos para os personagens alcançarem.

Uma série de aventuras é chamada de “campanha”. Os lugares onde essas aventuras ocorrem, como uma cidade, país, planeta, ou até mesmo um universo inteiro, também são mais comumente referidos como “mundo” ou “cenário”. Esses cenários são baseados em vários gêneros de fantasia; os mais populares são os de fantasia medieval. Atualmente a Wizards of the Coast publica três desses cenários: Greyhawk, Forgotten Realms e Eberron. Os mais populares são Greyhawk, Dragonlance, Forgotten Realms, Mystara, Spelljammer, Ravenloft, Dark Sun, Planescape, Eberron e Tormenta (sendo esse último de autoria totalmente brasileira). Os mestres e jogadores também podem desenvolver seus próprios mundos para usarem como cenários de campanha.

 

O sucesso comercial do D&D trouxe muitos produtos relacionados, incluindo a Dragon Magazine, Dungeon Magazine, a série animada Caverna do Dragão, dois filmes e jogos de computador e videogame, como o MMORPG Dungeons & Dragons Online: Stormreach, Baldur’s Gate, Planescape: Torment, Icewind Dale e Neverwinter Nights, diversos dados, miniaturas, aventuras e outros.

 

Espero ter dito quase tudo essencial sobre o jogo. Caso alguém tenha algum dado importante na história desse ótimo jogo, pode deixar aqui seu recado.

 

Bons dados à todos e até a próxima…

Anúncios

4 pensamentos sobre “Dungeons and Dragons

  1. tormenta não é cenário de d&d; o pessoal da dragão tinha pretensão que se tornasse um mundo oficial, mas a WOTC rejeitou, então eles lançaram um sistema próprio 3d&t

  2. Partir do principío é importante mesmo @João. Obrigado por visitar nosso blog.

    Informação importante @pregador. Obrigado pelo seu comentário.

    Espero ver mais comentarios seus pelo blog.

  3. Faltou incluir, no penúltimo parágrafo, o todo poderoso Ultima Online (UO).

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s