O RPG em 2008…

A passagem de 2008 nos tirou um pouco da graça de jogar RPG. Perdemos alguns dos maiores contribuintes do jogo, desde seu aparecimento. Gary Gygax, Bob Bledsaw e Erick Wujcik.

Gary, que todos devem conhecer, inventou o modelo do jogo como nós o conhecemos hoje. Tocou nossas vidas com as suas definições de RPG. Como não podia deixar de ser, a Zona Neutra já prestou sua homenagem ao “Maior de Todos os Mestres”.

Bob praticamente criou o mercado de jogos e seus suplementos Judges Guilds foram peças importantes para o RPG dos dias atuais.

Erick foi um dos fundadores da Palladium, uma das mais bem sucedidas empresas de RPG na sua época.

 

Enquanto isso a vida continua. O D&D continuou sua evolução com o lançamento de sua quarta edição, criada por alguns nomes importantes da nova geração: Rob Heinsoo, Andy Collins e James Wyatt.

Embora muitos tenham alegado que a quarta edição de D&D foi uma tentativa de levar o RPG para o meio eletrônico [MMO’s], pelas discussões que cercam a internet, seus fóruns e blogs, parece que não é isso que está acontecendo. Na cidade onde moro mesmo há quem diga que espera anciosamente pelo jogo para poder experimentá-lo na mesa [com ou sem acessórios]. Acho que ainda é cedo para dizer que o D&D 4 é o que nos levara ao RPG definitivamente eletrônico. Isso é uma coisa que somente o tempo poderá nos dizer.

No entanto o lançamento de D&D 4 veio acompanhado de um susto para a Wizards. O “mercado D20” nunca mais será o mesmo, porém ele ainda existe.

Alguns dos maiores parceiros em época de D&D 3.x passaram a defender suas próprias versões dos jogos. A Green Ronnin se concentrou totalmente no True D20 e Mutantes e Malfeitores. Troll Lord Games e seus Castles & Crusades. E a Paizo que foi praticamente forçada a criar uma marca própria com o Pathfinder, que irá manter a versão 3.x ainda em uso.

 

A Mongoose ressucitou três das maiores linhas de RPG da década de 80: Paranóia, Rune Quest e Traveller. Para a minha geração de jogadores que mal viu o Paranóia no Brasil isso não fez muita diferença, mas para o mercado americano foi surpreendente. Espero que o Complexo Alpha volte para o Brasil com mais força que antes, afinal, deixar o Computador de fora do mercado brasileiro seria traição e traição leva à morte. [Está certo disso cidadão?]

 

A Steve Jackson Games continua firme e forte com o seu Gurps, mas parece dar mais importância agora aos seus outros jogos: In Nominne, Toon, Munchikin, Dino Hunt, Knightmare Chess e Car Wars.

 

Em 2009 o que podemos esperar? Pathfinder vai virar febre mundial ou a quarta edição de D&D vai se consolidar? Novos jogos vão [re]aparecer ou os jogos já prontos vão ter suporte total?

Difícil de dizer. Para isso teremos que esperar mais 365 dias.

Anúncios

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s