[Sistema] Tagmar Daemon

Sou fã de Gurps. Mas ultimamente venho me perguntando o que isso quer dizer. Me pergunto ainda se isso ainda pode ser dito por mim. Não que eu não goste mais de Gurps, mas por que me sinto cada vez mais desligado de sistemas e me voltando mais para história, cenários, backgrounds, aventuras, interpretação, entre outros detalhes. Talvez por isso tenho me agarrado cada vez mais em Daemon, que é um sistema livre (licença de autor), tem regras simples e é um sistema genérico. Existe algumas coisas que não concordo, mas estou vendo como faço para melhorá-lo.

Por causa dessa minha nova fase venho procurando material livre, gratuito e de qualidade. Livre para poder ter mais liberdade de criar material e apresentá-lo as pessoas da internet. Gratuito para não ter o peso de ser comercial que visa apenas lucros e esquecem dos jogadores. De qualidade para poder utilizá-los por completo.

Dentro dessa idéia venho apresentar a vocês o sistema Tagmar Daemon. Para isso utilizarei as palavras dos próprios autores.

Quando  foi  lançado,  em  1991,  Tagmar  iniciaria  uma  história  de  sucesso  e  polêmica.  Carregando  a  pomposa alcunha de primeiro RPG Brasileiro o  jogo cativou uma  legião de  fãs, que por não serem muitos  tampouco assíduos acabaram por elevar Tagmar a um status de “cult”, enquanto “especialistas” no assunto o classificavam erroneamente como  “cópia  de D&D”. Talvez  por  emprestar  o  tema  (fantasia medieval)  e  alguns  conceitos  do  primeiro RPG  do mundo essa classificação não seja tão maldosa – mas Tagmar era muito mais do que isso. E pensando bem, qual RPG de fantasia medieval não se inspirou em D&D?

Só pela iniciativa pioneira e audaciosa (se hoje em dia o RPG é pouco conhecido, imaginem em 1991!), Tagmar já  merecia o respeito que detém. Alem disso o cenário carregava uma série de elementos  inovadores e uma ambientação rica,  porém  pouco  explorada.  O  sistema  –  como  era  moda  nesses  idos  tempos  –  era  um  pouco  complicado  e dependente  de  tabelas,  entretanto  funcionava  muito  bem,  e  teve  alguns  de  seus  elementos,  inclusive,  tomados emprestados para outros  sistemas que  viriam  a  surgir  (ou ninguém percebeu  a  semelhança  entre Pontos Heróicos  e Energia Heróica?).

Com essas qualidades e defeitos Tagmar sobreviveu por um longo tempo como um ótimo RPG. Mas os anos se passaram,  novos  jogos  chegaram,  as  tendências  mudaram,  e  o  jogo  acabou  por  cair  num  relativo  esquecimento. Nenhuma edição  revisada  foi  lançada até que há pouco  tempo,  repetindo os gestos do passado, os autores  tomaram uma iniciativa inovadora e uma decisão histórica.

Em  2004  com  o  advento  (e  sucesso)  da  licença D20  e  a  crescente  qualidade  dos  cenários  e  sistemas  de RPG gratuitos que circulavam pela internet, os autores de Tagmar reuniram-se e resolveram liberar o cenário e o sistema para quem quisesse aproveitá-los ou reformulá-los em forma de netbooks (ou seja, sem comercialização). E os primeiros a tomarem  iniciativa foram os próprios autores, que trataram de montar um grupo de aficionados  interessados em criar uma nova edição de Tagmar.

A proposta  inicial era  reformular o próprio sistema do Tagmar, deixá-lo mais  fácil e  fluido para se  jogar. E aos poucos  isso foi sendo feito. Foi durante essa fase de reelaboração que surgiu a  idéia de adaptar o Tagmar para outros sistemas  –  e  imagine  qual  foi  nossa  surpresa  quando  o  próprio Marcelo  Rodrigues,  um  dos  autores  originais,  nos convidou para iniciar uma adaptação do cenário para o Sistema Daemon.

Sendo outro  grande nome do mercado RPGístico Brasileiro, o  Sistema Daemon  também  carrega  consigo uma história de sucesso – e unir esses dois pesos-pesados não seria uma tarefa nada fácil. Mas essa idéia caiu como uma luva: há pouco  tempo o  Sistema Daemon  também havia  sido  liberado para que os  autores  também pudessem  criar  jogos baseando-se em suas regras – e os fãs do sistema estavam órfãos de fantasia medieval clássica (e Arkanum foge à regra). Por outro lado, Daemon tem uma proposta mais, digamos, realista e pé no chão que o sistema de Tagmar (talvez por ser genérico), então os fãs do cenário teriam mais uma opção de conjunto de regras para rolar suas aventuras.

A proposta do Tagmar 2, como foi chamado, é de ser uma opção barata e de qualidade para o RPGista Brasileiro – e foi alcançado com maestria. Esperamos humildemente que o Tagmar Daemon também tenha alcançado um nível de qualidade comparável ao do Tagmar 2, e que vocês jogadores gostem do que irão encontrar nas próximas páginas. Boa aventura a todos!

Os autores

Esse livro, assim como outros, pode ser baixado no link: http://www.tagmar2.com.br/DownLoadTagmar2.aspx, no site oficial do sistema Tagmar 2. Outros materiais podem ser baixados para Tagmar, no mesmo link.

Por enquanto é isso. Assim que possível trago mais detalhes. Ou vocês podem olhar no próprio site do Tagmar.

Anúncios

3 pensamentos sobre “[Sistema] Tagmar Daemon

  1. Poxa Talude, realmente o link naum tá legal.

    Mas meio que atrasado Alexandre venho aqui trazer uma resposta ao problema do link. Uma pasta que o Talude tem no MediaFire, com vários materiais. Não sei se é o mesmo link que ele quis colocar no comentario acima, mas segue o link abaixo:

    http://www.mediafire.com/newsrpg

    Valeu!

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s