Entrevista com Mestre Meyer [PC Pronto]…

Como já tinha feito a um tempo atrás, com o Marcelo [CASA] e Nylvânia [Fusart], mais uma entrevista vem agora. O grande Meyer, gente fina pacas [não sei se ele é tão magro, mas é gente fina], nos cedeu essa entrevista. Vamos à ela…

*****

Zona Neutra: Fale um pouco de você, de seu grupo de RPG e de como começou a jogar.

Mestre Meyer

Mestre Meyer

Mestre Meyer: Primeiramente vou falar “um pouco” sobre minha pessoa. Sou de Santa Catarina, nascido e criado em Florianópolis, o que me dá o status de “Manezinho da Ilha”. Já estou na casa das 3 décadas de vivência, sou um homem compromissado com a mulher amada. Sou empresário e analista de sistemas, tenho uma empresa no desenvolvimento de sistemas online usando tecnologia Java. Conheço o Brasil inteiro, já viajei por todos os estados da federação brasileira, e posso afirmar o quão o Brasil é bonito e excêntrico.

Sobre o RPG, comecei a jogar em 1991, quando fui visitar um amigo na casa dele e chegando lá fiquei o chamando no portão da frente da casa, mas ninguém me escutava, eu conseguia escutar várias pessoas gritando lá dentro… algo como “Eu vou puxar a espada e cortar a cabeça dele” e outro gritava em seguida “Eu vou disparar uma flecha na perna dele” e eu do lado de fora pensando… “Pronto, tão se matando tudo agora!!!”. Resolvi entrar sorrateiramente na casa do meu amigo, e chegando à porta de entrada, pude ver uma cena inusitada, estranha, e pra lá de sinistra… vários moleques da minha idade sentavam comportadamente ao redor de uma mesa, segurando alguns papeis em uma mão e arremessando dados na outra… Na cabeceira da mesa, um cara estava sentado com uma cara de indiferença a todos, enquanto consultava um livro… De repente ele virou para os jogadores exaltados e disse.. “Ok, a flecha crava na perna dele, ele se desequilibra e cai, em seguida leva uma espada na cabeça, o sangue voa lentamente pelo ar enquanto o maligno mago… sofre uma terrível morte frente a vocês…” e em seguida TODOS gritaram “Aeeeeeeeeeeee!!!”. Só então, eles notaram que eu estava ali na porta, olhando com calma tudo que acontecia… Obviamente fui perguntar o que era aquilo tudo. Explicaram-me que era um jogo chamado RPG, que funcionava assim, e blablabla. Me convidaram pra jogar, achei melhor ficar apenas olhando de início, e foi assim acho que por umas 3 partidas, apenas acompanhava, sentava do lado do mestre e via ele mestrando… depois de alguns dias, a vida novamente me apresentou o RPG, fui na casa de outro amigo, e comentei para ele o que eu tinha visto, falei sobre aquele tal RPG, ele achou o máximo e de repente ele deu um pulo e foi mexer no armário dele, ele havia se lembrado que tinha ganho um jogo complicado da madrinha no natal, algo com livros e dados.. mas que ele não tinha entendido nada… quando ele puxou a caixa e eu abri pra começar a ver… eis minha surpresa, eram Livros de RPG, com dados e miniaturas e um livro de aventuras prontas… aquilo era mais do que uma mensagem divina para que eu começasse a jogar RPG… aquilo era praticamente o avatar do RPG caindo sobre minha cabeça ordenando que eu aceita-se meu destino 😐 assim, peguei aqueles livros, devorei eles, e mestrei para vários amigos da minha rua… aos poucos fui montando grupos… cheguei a ter mais de 50 jogadores… dividido em vários grupos… eu mestrava de tudo…. Fantasy, Cyberpunk, Supers, Espionage, Vampire, Máfia. Foi uma época muito divertida e produtiva, atualmente tenho apenas 1 grupo aqui em Tubarão (nova cidade que estou morando).

ZN: Qual a sua visão sobre RPG?

MM: Minha visão sobre RPG? É meu principal hobby, foi com ele que formei grandes amizades que perduram até hoje, foi com ele que criei o hábito de ler, com ele consegui desenvolver bastante meu raciocínio lógico tal como consegui apurar e muito minha perceptividade com ambiente e pessoas.

Eu vejo o RPG como uma grande confraternização, tal como meu avô ia à Praça XV jogar Damas ou Xadrez com seus amigos. Eu não vejo nada de mal no jogo em sí, muito menos na proposta dele, já ví muita discriminação com o RPG, mas sei diferenciar que a discriminação é errônea. O erro que muitos comentem é querer julgar o RPG em vez de julgar o comportamento inadequado de alguns jogadores de RPG. O fato de alguém sair esfaqueando alguém no meio de um Live-Action, não torna todos os jogadores de RPG “assassinos-sanguinários-pseudo-góticos-depressivos”. Seria a mesma idiotice que condenar todos os alunos de medicina, ou tentar culpar os produtores do filme clube da luta pelo ato condenável que aquele aluno fez em SP em 99. Casos isolados, não justificam o todo.

Fora isso, considero o RPG uma coisa muito boa, quando bem feita, bem conduzida, e que seja de comum satisfação para jogadores e mestre.

ZN: Qual sua opinião sobre Live-Action?

MM: Confesso que não joguei vários Live-Action, cheguei a organizar uns 2 live de vampiro, e foram até muito legais… Mas sou meio tradicionalista, a maior prova disse é que vários jogadores estão passando para a 4ªed do GURPS… e eu ainda me agarro na antiga e boa 3ª… Isso deve ser uma síndrome do pânico rpgístico… Ou algo do gênero ><

Mas sei lá, fico feliz quando alguém faz algum evento de RPG, mesmo quando não gosto dele… Ou não participaria… O importante é proliferar o universo do RPG.

ZN: Cite três sistemas, em ordem de preferência, que gosta de jogar.

MM:

GURPS.

MARVEL.

CODA.

ZN: Diga qual sua impressão sobre cada um dos sistemas citado por você na pergunta anterior.

MM:

  1. O GURPS pra mim é tudo, sempre foi, e por enquanto, continua sendo… Com ele eu Mestro o que eu quiser, da forma que eu quiser, sem me preocupar com a falta de maleabilidade encontrada na maioria dos outros sistemas. Eu passei anos da minha vida mestrando RPG apenas com o MB. Obviamente que os outros suplementos me ajudaram pacas… mas de boa… pra mim o mais importante no RPG é a narrativa, a interpretação, então o GURPS sempre se provou um verdadeiro receptáculo de idéias para aventuras… Eu tinha uma idéia… definia pontos… e BOOM !!! Lá estava mais um grupo se aventurando em um cenário novo e exótico!!!
  2. Poucos conhecem, mas os que conhecem sabem da simplicidade que apenas 2 dados e uma tabela universal podem te proporcionar na hora de narrar coisas absurdas como os super-poderes dos heróis do universo marvel. Eu gosto muito desse sistema, principalmente pela simplicidade que ele se propõe.
  3. Gostei muito do sistema CODA, principalmente pela forma um pouco diferenciada que ele deu na hora de criar o suporte na criação dos personagens.

ZN: Como você se define como jogador de RPG? Você se foca na personalidade do personagem, em táticas de jogo, em construir as melhores habilidades e perícias…

MM: Eu sou um jogador (quando tenho a rara oportunidade de jogar) extremamente observador, e procuro sempre interpretar meu personagem levando sempre em conta as motivações do mesmo. Sou calculista, ponderado e criativo.

ZN: Você acha que a “onda d20” mudou o mercado brasileiro? Acha que alguma coisa vai mudar com o cancelamento do D20 System? Qual a perspectiva que você está vendo para ele, daqui em diante?

MM: Acho que o mercado costuma se reinventar, não apenas no mundo do RPG, mas também no vestuário, no esporte, no lazer. Essas preocupações de tendências de mercado nunca me afetaram, acho que, quem tem que se preocupar com isso são as editoras especializadas de RPG… Quem vai ficar sem comer pão são elas. Eu vou continuar jogando RPG independente do que aconteça.

ZN: Existem projetos em que você esteja envolvido?

MM: Vários… aguardem e confiem ><

ZN: Você atualmente administra o blog de PC Pronto. Como surgiu à idéia do blog, qual seu objetivo e quais os planos para o futuro?

MM: Bem, eu não estava mais com tempo para mestrar RPG, alias, eu não tava com tempo nem pra respirar direito… Então estava afastado da minha vida RPGística, comecei a ficar meio deprimido e com aquele vazio no peito… Então resolvi fazer alguma coisa que me tomasse pouco tempo do dia… E me trouxe-se novamente para perto do RPG… Pensei um monte e resolvi abrir um Blog. Como existia uma grande leva de blogs já sobre gurps, ou sobre rpg aleatórios, ou no estilo de minha vida como jogador de RPG… resolvi inovar com algo que “não” existia ainda… então pensei um monte.. e cheguei a essa brilhante idéia de uma biblioteca de personagens de RPG… colaborativa e participativa. Acho que fui muito feliz com essa idéia… e agora ela caminha para uma nova fase… onde toda parte colaborativa vai ser automatizada 🙂

ZN: Sobre o surgimento de tantos blogs e sites de rpg na rede, qual sua opinião sobre essa situação?

MM: É ótimo, mais vai se tornar muito melhor quando pararmos com o espírito bobo de competitividade e passarmos a olhar nossos parceiros como nossos maiores aliados e confidentes do nosso sucesso, pelo menos, é isso que eu costumo fazer.

ZN: Em sua opinião, quais os melhores lugares para se ler sobre rpg na internet? Excluindo o PC Pronto, é claro!

MM: A pois agora, grande parte dos meus parceiros consideram excelentes… O seu blog (Zona Neutra) e o do emilson (RPG Sem Compromisso) tem me surpreendido bastante por qualidade e principalmente por colaboratividade. Mas tem os clássicos como o do Dantas (Gurps a Pampa) e do Gurps Melendor.

ZN: Como você vê hoje o Rpg em Tubarão, cidade onde mora atualmente?

MM: Putz cara… Vo te contar que foi eu que trouxe o RPG pra cá… hauhauhUHahu então se tiver algumas velhas com bíblias na mão querendo queimar quem levou seus filhos e netos para o “mal caminho” esse futuro churrasquinho sou eu ><

ZN: Sobre a aplicação do Rpg para ensinar matérias escolares, você acha que traz bons resultados? E esse método está sendo bem aproveitado?

MM: É muito cabível sim, conheço alguns professores que já usaram e tiveram muito êxito. Alias, a história do uso do lúdico no ensino é antiga e muito estudada, o uso do rpg como mais uma ferramenta que é um pouco de novidade… Mas acho que tem muito ainda a crescer, primeiro temos que vencer as barreiras da “moralidade” brasileira para depois pensarmos em ensinar algo com RPG.

ZN: Você sempre deixou bem claro que tem como sistema favorito o Gurps. Sobre cenários de campanha você acha que Gurps fica devendo?

MM: Claro que não fica devendo, até porque se você parar para ver a proposta do GURPS, é ser genérico, ele não veio para lhe entregar cenários prontinhos… Ele veio pra ser base de regras para que você, criativo, inteligente, astuto, curioso e sedento por leitura, queira por méritos seus, construir um cenário marcante, divertido e que todos irão lembrar para o resto das suas vidas. Nada melhor do que ser elogiado por coisas que você conquistou… Ganhar com o esforço dos outros é mediocridade.

ZN: Você tem planos de trabalhar no desenvolvimento de materiais de rpg? Criação de canários, sistema próprio, ou algum outro projeto?

MM: Sim. Eu tenho um grande cenário e sistema… Chama-se POLAN e foi feito em parceria com um grande amigo, Gustaveira.

ZN: Qual sua opinião sobre a venda do material de rpg em Pdfs?

MM: Bem, acho que é uma tendência a venda virtual… mas as acho que em PDF… ainda é mancada… quem pode afirmar isso é o pessoal da SJG, com a venda dos livros da 4ª pelo e23. Em menos de 1 semana já tava rolando os pdfs free pra galera… Algo lamentável.

ZN: O que você acha de jogar pela internet? PbM, através de fóruns, pelo programa do site RpgOnline, ou outro meio disponível… Você joga ou jogaria?

MM: Acho difícil, louvável, mas difícil. Eu já construí acho que uns 3 programas para se jogar via internet… por chat… com rolador der dados, fichas, geração de narrativa, etc… mas nenhum valeu o esforço.

ZN: Que conselho daria para os novos jogadores de rpg que ainda não se firmaram no hobby ou que ainda não acharam seu sistema favorito?

MM: Continuem procurando, se não acharam, sem problema, procure fazer algo que venha a lhe agregar na vida tanto valor quanto o RPG iria. O importante é ficar afastado de brigas, drogas e outros problemas. Procure firmar amizades sinceras, pois eles são um elo muito importante no que você é hoje e o que será no futuro.

ZN: Para encerrar queria agradecer a sua presença de espírito e desejar boa sorte em seus projetos e gostaria ainda de pedir para que você deixa-se uma mensagem aos jogadores, mestres e/ou simples leitores da Zona Neutra.

Obrigado pelo convite, espero que todos vocês visitem nosso blog.. o PCPRONTO mas que possam baixar centenas de personagens, e quem sabe colaborar com o envio de alguns personagens.

“Projetos conjuntos têm mais chance de sucesso quando se beneficiam de ambos os lados.” – Eurípedes

Anúncios

Um pensamento sobre “Entrevista com Mestre Meyer [PC Pronto]…

  1. Bom, eu sou suspeito de comentar hehe, sou uma das primeiras figurinhas de Tubarão que o Meyer “enfernizou” com esse negócio.
    Já nos quebramos muuuiiito com RPG, já montamos um “clube” uma vez (na casa da vó do Meyer, aliás), já jogamos até num extinto e falido bar em Capivari de Baixo (O andré até já dormiu em cima de um velho Freezer vermelho) e digo, começamos com o GURPS (que o meyer trouxe pra nós) e por nada acredito que começamos da melhor forma. O Gurps te dá muita liberdade de criar seu próprio “espaço e tempo” por assim dizer, tendo um livro de regras dinâmicas e genéricas, coisa que como podemos ver que é a visão atual da White Wolf, o “cross over”, unificando as regras do mundo das trevas e propiciando mais elementos às campanhas.
    Enfim, não vou dar mais pano pra manga… (^^)
    FUI!!

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s