Motivos para Supervilões…

O que tira um supervilão da cama todas as manhãs?

Semear o ódio e o medo
Alguns deles querem fazer o mundo um pouquinho pior, espalhando o ódio e a intolerância entre as pessoas. Quando os heróis chegam para impedi-lo, há motins nas ruas e a cidade está em chamas. Não é ele quem põe a mão na massa, ele só desperta os instintos mais primitivos na população e deixa que a guerra civil faça o resto.
Um ótimo exemplo deste inimigo é um illuminati midiático que controla e incita a população via implantes de falsas notícias (ou interpretações erradas das mesmas).
Este é um excelente objetivo para vilões com pouco poder físico em campanhas baseadas em temas políticos.

Corromper a todos
Este é um objetivo parecido ao anterior. O vilão afeta indivíduos, geralmente pessoas com grande poder. Ele explora suas fraquezas. Ele trabalha por trás dos panos, para corromper os bondosos e favorecer os espíritos mesquinhos. O Sauron, de Senhor dos Anéis, é um exemplo que se encaixa em várias categorias, inclusive nesta, quando ele corrompe o Sauruman, transformando-o em sua fantoche.

Controlar as Crianças
… ou qualquer outro segmento vulnerável da população. O vilão quer um exercito de fantoches e zumbis – pessoas que cumprirão suas ordens em segredo e em conjunto. Ele pode usar algum tipo de poder psíquico, tecnologia estranha (um Mega-Canhão-de-Dominação-Mental, por exemplo), ou ele pode contaminar com a substância X o reservatório de água da cidade. Nos anos sessenta, um vilão usaria drogas ou a televisão para controlar os estudantes – um comentário não tão subliminar sobre os protestos daquela época.

Deixe-me em paz!
O vilão quer ficar sozinho, mas algo (ou alguém) o trouxe para a campanha. Quando ele é muito incomodado, ele ataca. Normalmente, este vilão tem um poder cósmico ou de outros planos. Muitos vilões supra-planetários estão felizes em manter seus negócios em outros planetas, até que chegam os heróis e tentam impedi-lo. Qual a reação óbvia? Usar os seus “poderes de vilão” para afastar os heróis da parada.
Uma outra possibilidade é a convocação extradimensional de uma entidade qualquer (fantasmas, demônios, espíritos…). Enquanto ela for deixada em paz, ela estará contente, porém quando tentam impedi-la de “cumprir sua rotina”, ter-se-á problemas.

Retomar algo perdido
O vilão quer de volta algo que perdeu. Um amor, um parente ou um objeto. Ou ele está procurando por sua terra natal. Enquanto nenhum herói, grupo de pessoas, ou local fica em seu caminho, tudo está bem. Mas quando o vilão decide que o mundo fica entre ele e o seu objetivo, é hora dos heróis se envolverem.

Salvar a humanidade
Um parlamentar deseja, de alguma forma, salvar a humanidade, porém seus métodos requerem alguns crimes, pessoais e políticos, então ele é enquadrado como vilão. Sua meta é admirável, mas os heróis não acreditam que os fins justificam os meios.
Este objetivo é complexo e merece ser explorado numa série de aventuras. O herói deve decidir se o vilão é, ou não, realmente, um vilão; cada crime deve ser considerado em um contexto. É claro que, se os heróis não descobrirem o objetivo final, o clímax da campanha, a busca não terminará.
Uma variação deste objetivo é o vilão que diz querer salvar a humanidade, mas ele é, na verdade, apenas um louco perigoso. “Nós temos que destruir a vila para salvá-la”, ou, então, ele salvará a humanidade forçando-a a agir corretamente… e, claro, sua versão de “correto” é um tanto perturbadora.

Ficar rico
Este é o clássico objetivo dos inimigos do Batman. Vilões inábeis como Pingüim, Charada ou Mulher Gato querem roubar algo do museu para vender ao maior preço. Ou roubar um banco. Ou extorquir um milhão de dólares do Comissário Gordon.
Há meta menos criativa para um vilão? Não. Eu acho que isto ocorre aos vilões do Batman porque eles são fracos em superpoderes – se a sua marca registrada é o uso de um traje verde e a obsessão por charadas, você é limitado a este tipo de maldade barata.

Servir um senhor
Até mesmo as maiores mentes criminosas curvar-se-ão a um poder maior. Mumm Ha, O de vida eterna, por exemplo, serve, inquestionavelmente, aos espíritos do mal que o fortalecem e lhe dão poderes especiais.
Um vilão com esta motivação deve servir alguém (ou alguma força) que ninguém mais vê. Esta pode ser parte da aventura. O vilão é apenas a ponta do iceberg, achar e combater o “grande líder” é que é o negócio.

Vingança
O vilão quer vingança contra um herói, ou talvez contra um dos PC’s. Ele tem de defender sua honra… ou sua irmã foi acidentalmente assassinada… ou ele foi desconfigurado.
O vilão pode querer vingança contra toda uma classe de pessoas. Isto funciona bem se o vilão foi um dia líder de uma nação pacífica que foi destruída por outra nação. Talvez o Dalai Lama tenha entrado em uma organização secreta que agora tenta destruir o exército chinês! Ou talvez não…

Arruinar um herói
Esta meta é como a vingança, mas recai sobre um herói em específico ou a sua equipe. Mais que a morte, abalar a fama, a credibilidade e a reputação de uma pessoa pode ser bem trágico. Além da possibilidade de difamar o herói, é possível que o vilão tente roubar seus poderes, status, família, ou, simplesmente, transformá-lo em uma marionete que responde a seu bel prazer.

Destruam! Barbarizem! Semeiem o caos!
A mais fácil e mais louca meta é simplesmente destruir tudo. Este é um vilão que não se importa com os homens, dinheiro ou vingança. Ele só quer ver o mundo explodir.
Uma variação deste tipo é o inimigo que quer destruir apenas uma coisa, porém não algo qualquer. A sua meta é destruir algo simbólico para o povo ou para os PC’s. Um lugar (World Trade Center, Estátua da Liberdade, Parlamento Inglês…), um poderoso artefato ou uma pessoa. Ou a lua, quem sabe.

Poder pessoal
No caminho para seus objetivos, muito vilões tentarão aumentar infinitamente seus próprios poderes, aumentar sua riqueza, ganhar novos adeptos, ou achar a chave para a imortalidade. Uma vez que os heróis percebam isso, eles tentarão barrar o vilão, para evitar um oponente mais forte na próxima vez que o vilão for tentar dominar o mundo.
Se os heróis não conseguem captar as intenções do vilão, ligue-as, diretamente, aos heróis. Talvez o vilão tenha que roubar algo deles, sugar seus poderes ou obter uma informação vital. Os heróis, neste caso, serão o alvo da empreitada.

Ganhar a guerra
Este é o principal objetivo de vilões nazistas, por exemplo. Seus propósitos de vida são conquistar a Europa, destruir a Rússia, destruir a Inglaterra, e reerguer o terceiro reich.
Este objetivo é sempre viável porque sempre existe uma guerra ocorrendo. E se não há, estes vilões fazem ter.
Este tipo de inimigo não é daqueles que toma o poder às escuras, ele faz mais o gênero megalomaníaco que arromba a porta com um chute e sai distribuindo porrada.

Controlar parte do mundo
O vilão quer tomar controle de Nova York, São Paulo, um pequeno país do leste europeu, um condado no meio do império ou do oceano atlântico e etc. Ele é muito inteligente para pensar que pode lutar contra o mundo todo.
Algumas vezes esta meta parece legítima. Um rei tirano de um país distante pode ser alvo de heróis que lutem contra a tirania, porém e se o povo gostava do rei? e se o rei for substituído por um tirano ainda pior??

Controlar o mundo
E, por último, mas não menos importante, o que há de ruim em ser um supremo ditador global? Todo o vilão com esta meta tem de reconfigurar o mundo politicamente para ser, ele mesmo, um ditador central. Isto é metade do problema. A outra parte é como fazer com que todos obedeçam depois de implantada a ditadura.
Todos os aspirantes a ditadores globais têm de ter um plano, um esquema que diz como todos serão forçados a fazer o que ele diz. Os melhores vilãos deste tipo também têm um plano para tornar a ditadura permanente – uma vez que ele ganhe, ele ficará no poder pra toda a eternidade.
Controlar o mundo tem muitos benefícios, mas a maioria dos vilões deste tipo busca este controle por causa do poder. Nenhuma droga ou orgasmo se compara ao fato de que você controla todas as coisas e pessoas do planeta. É por isso que estes vilões tendem a enlouquecer – apenas uma antecipação do poder total já é o bastante para fazê-los superconfiantes e megalomaníacos.

Autor: Scott Markrantz
Fonte: http://www.omnology.com/gurps-vill.html
Tradução e adaptação: Daniel Dantas
Na net: http://www.gurpsapampa.clic3.net

Anúncios

2 pensamentos sobre “Motivos para Supervilões…

  1. Faltou dizer paixão:

    Alguns vilões agem por impulsos do coração, amando outro vilão ou personagem, movendo usas vidas ao redor desta pessoa. Agir criminosamente é apenas um meio de realizar o seu sonho com o npc x em um futuro próximo.

    Um exemplo? Sr.Freeze (Sr.Frio) do batman. Ele tentava reviver a esposa dele, hibernada em um sistema de manutenção de vida. Então, ele buscava através de seu trabalho, reviver o seu grande amor e talvez mudar o mundo para algo melhor que ela ame (supostamente)

  2. Antes de tudo obrigado pelo seu comentario e desculpe por naum ter respondido antes.

    Quando a essa motivação q vc apresentou, com certeza ela é válida. Só tenho que ver quando e como vou utilizá-la nas minhas istoria, pois axo q essa seja a motivação mais dificil,de se trabalhar em uma mesa de RPG. Passar esse sentimento de amor para os jogadores as vezes é bem complicado se naum for bem planejado e trabalhado. Mas com certeza é uma boa motivação para os vilões.

    Ate mais!

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s