Criar um cenário ou usar um pronto?

Esse post é mais pra tentar esclarecer uma dúvida minha, do que propriamente tentar trazer luz para alguém que possa está com a mesma questão.

Atualmente estou mestrado uma aventura de D&D 4E, mas utilizando o cenário de forgotten realms 3E. Nesse tipo de jogo, mediéval heróico, minha dúvida não existe, pois gosto de forgotten e minha intenção é descobrir o máximo do cenário em minhas aventuras.

Essa dúvida começou a me atormentar desde que eu voltei a ler sobre Mutantes e Malfeitores. Tive a ideia de usar esse sistema pra mestrar online via skype, pois o acho bastante simples, utiliza apenas d20 e deixa de lado a parte estratégica das miniaturas em combate, devido a velocidade que os personagens podem ser mover.

Penso em fazer uma aventura mais pé no chão e sem o estilo HQ de ser. Algo parecido com prototype ou uma historia de anjos e demônios com poderes que realmente fazem a diferença. Pra isso só preciso terminar de me entender com o sistema e ver o que melhor se encaixa e onde se encaixa, e ver se é mais facil mestrar estilo prototype ou anjos e demônios.

Quando falo em mestrar parecido com prototype, me refiro mais a idéia de mutações genéticas e menos aos poderes, pois caso contrário a idéia de aventura um poquinho mais pé chão deixa de existir.

A dúvida em relação ao cenário acontece justo no ponto de resolver onde mestrar. Tipo: mestrar em uma cidade real, que seria o cenário pronto, ou criar um cenário mais heróico?

No momento estou mais inclinado a criar um cenário. Por que?

Por que a idéia de mestrar em uma cidade existente trás o problema de eu não conhecer o lugar, pois a cidade onde moro e a que mais conheço, não é adequanda para esse tipo de aventura e eu viajo muito pouco (na verdade faz muito tempo que não viajo). Sei que existe a internet, mas eu acho que criar seria mais interessante, pois eu teria que saber somente o que me interessasse e quando mais informações fossem necessárias eu poderia invertar, sem me preocupar de esta certo ou errado. No caso de uma cidade real, poderia ser que eu não tivesse pesquisado ou não encontrado uma informação, então quando eu fosse inventar algo, algum jogador que conheça melhor o lugar poderia questionar tal informação. É claro que o narrador tem a palavra final e pode modificar as coisas a sua vontade, para um melhor desenvolvimento da aventura, porém, seria mais legal se as informações fossem verdades, para que os jogadores se setissem mesmo dentro da cidade.

Em resumo ao que disse anteriormente, penso que o melhor, pelo menos até o momento, é criar um cenário, mesmo que inspirado em uma cidade existente(em outras paavras: copiado descaradamente), pois assim terei certeza de que o cenário vai ser do jeito que eu quero e não haverá o perigo de um jogador aparecer com a seguinter frase: “Ei!!! Eu estive em fortaleza nesse final de semana e nesse lugar não existe isso…”

Assim pergunto aqueles que se atreveram a ler este post: Melhor criar uma cidade ou utilizar uma que existe de verdade?

Anúncios

4 pensamentos sobre “Criar um cenário ou usar um pronto?

  1. Olá Mestre Emilson!
    Eu já tive essa mesma dúvida que você está tendo agora.
    Criar uma cidade te da mais liberdade.
    Usar uma cidade te da mais credibilidade e torna o clima mais sóbrio.
    Eu recomendo pegar o melhor das duas opções e seguir em frente.
    Peque os principais elementos da cidade na qual você quer ambientar e os preserve.Porém, crie todo o resto que você nÃo conhece sem temos.
    Ninguém conhece o Rio pelo fato da rua 1 ser ao lado da rua 2, mas pelo Cristo Redentor, pelas belas praias, pelos turistas, pelos eventos, pelas favelas, pela violência, pelas belezas naturais e artificiais.
    Na minha opinião, especialmente quando há o interesse de desenvolver um clima de tensão ou terror, deve-se vincular o máximo possível com elementos da realidade dos jogadores, ou seja jogar em casa.
    Lembre-se sempre que você não precisa ser fiel a sua cidade. Você não está retratando a cidade, mas meramente ambientando o jogo nela.
    Se escolhe jogar em outro lugar, você pode pegar elementos da cidade em sites de turismo e jornais e explorar da forma que quiser, desde que mantenha um “gostinho”, uma referência, ao que há de real.
    Por exemplo, eu narrava uma crônica de vampiro ambientada no Rio e nunca fui lá. Morro em Belo Horizonte. Pelos jornais e sites consegui tudo que precisava.

  2. Olá, sinceramente acho essa dúvida não faz muito sentido, pelo menos não pelos argumentos que vc apresentou, com todo o respeio.

    O problema de alguém já conhecer a cidade pode ser resolvido com uma simples conversa com o *eventual* jogador que tenha estado na cidade e na verdade isso pode até ser benéfico, com dicas e informações que, de outro modo, vc não teria.

    Uma navegada no Google Mapas e fotos de satélites ajudam muito, se vc tiver acesso a ferramentas mais robustas como o Google Earth, melhor ainda.

    Quer dar um gostinho de verossimilhança? Procure por uma Pizzaria digamos na Nossa Senhora de Copacabana (RJ), ou uma casa noturna qualquer em SP, pegue umas fotos e ambiente a aventura lá.

    Sua aventura envolve um risco nuclear? Verifique no Google mapas os arredores da Usina de Angra dos Reis (RJ) – se for no Brasil.

    Sabe o camarada do seu exemplo que esteve em Fortaleza? Vasculhe o Orkut dele, veja as fotos da viagem e utilize os locais, rápidas pesquisas na internet vão te dar boas informações a respeito.

    Pessoalmente eu sempre prefiro criar meus cenários, salvo em casos de supers-heróis onde prefiro usar cidades do mundo real (e nesse caso uso as ferramentas acima).

    Acho difícil imaginer uma cidade não existente, tipo Metróples, nos EUA. Porque ela é importante (só por causa do Super-Homem?), qual o peso político dessa cidade? E sua relação com a economia, é mais pujante que NY? Ou decadente como Detroit? E Por que? Em uma cidade já existente essas perguntas já são respondidas, logo sobra mais tempo para se concentrar na sua história.

  3. Crie sua cidade e use os elementos que forem mais viáveis para você, lhe dará mais liberdade.

  4. Quando eu fui começar a mestrar All Flesh Must Be Eaten eu não cogitei a hipótese de não conhecer o lugar adequadamente, mesmo por que os personagens seriam os próprios jogadores, então escolhi a minha cidade. Porem com o tempo voce percebe que não sabe onde estão todas as farmácias da cidade ou mesmo todas as ruas, suas mãos e contra-mãos e etc. Então acaba tendo de inventar, e perdendo um pouco a veracidade que você procura.
    Portanto acho melhor você criar a própria cidade, assim ela vai se moldando a medida que você precise.

O que achou desse post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s