Fuuuusão… [na ponta dos pés!]

Mudanças existem para melhorar, as vezes para piorar, mas de uma coisa todos temos certeza. Quando juntamos duas coisas de que gostamos, só tende a crescer e ficar ainda mais gostoso, né?! [Que o diga farinha de trigo e chocolate!]


Através deste post anuncio a vocês, leitores da Zona Neutra, que este blog estará se transformando a partir de agora. Junto com o PC Pronto, do Mestre Meyer [e agora meu também] essa transformação pode ser o pulo que estava faltando para que a minha satisfação em criar e escrever volte com força.


O Zona Neutra nunca me pertenceu de verdade e agora estou lhe devolvendo às mãos de seu dono. Emilson [RSC] vai administrar a casa com a minha saída e espero que ele se dê bem. Torço por ele.

Alexandre Nordestinus e Silas McLeod [ex-ZN] e PC Pronto de agora em diante serão somente um. Vamos juntar o que ambos têm de melhor e fazer algo diferente.


Inicialmente um blog, com personagens prontos para mestres e jogadores [como todos nós já conhecemos], agora com matérias sobre os mais diversos assuntos, que tenham alguma relação com o mundo do RPG, Card Games, notícias sobre quadrinhos, eventos e tudo que a nossa população da blogsfera [e também as pessoas de fora dela] gostam de ler.


No momento o que posso dizer é: Obrigado a todos que me visitaram, enquanto estive aqui escrevendo para vocês, errando e levantando polêmicas. Isso todos nós fazemos. Agora vamos dar um passo à frente.


Preparando para a fusão, vocês podem continuar lendo tudo que lêem aqui em: http://pcpronto.blogspot.com. A gente se encontra por lá.

PC Pronto
Anúncios

Dia D RPG 2008 na TV…

Claro, não foi uma transmissão nacional e nem é atualizada, mas pelo menos serve para lembrar que tem gente que tenta popularizar o RPG.

A reportagem foi ao ar em 29 de agosto de 2008 pela TV Verde Vale, de Juazeiro do Norte [CE] e tratava sobre o Dia D RPG 2008.

Vale a pena ver a reportagem… Massageia o ego. hahaha…

Confiram no link do Grupo Cariri RPG

Gurps OGL…

É claro que isso não existe e que provavelmente não vai existir, mas vi um tópico no Orkut falando sobre o assunto e pensei um pouco sobre tal abordagem.

Não é para falar sobre a licença de Gurps ser liberada e sim sobre um livro, baseado nas regras da OGL que seja muito parecido com Gurps.

Primeira pergunta: seria possível? Sim, pois a OGL é aberta para mudanças. Vide as várias versões diferentes do sistema de regras. Na conversa que ocorreu lá, inclusive, apareceu um comentário falando sobre o Mutantes e Malfeitores, dizendo que ele é uma versão muita parecida com o Gurps, pois ele é um sistema baseado em pontos de personagem. E embora tenha niveis, não tem classes. Onde se compra as características dos personagens [atributos, vantagens, desvantagens e perícias] com pontos.

Não vi o livropara afirmar isso, mas se for verdade, por que não alguém fazer um Gurps OGL, baseado na SRD do D20 System e lançar um netbook gratuito na internet?

Eu pessoalmente acho que não daria certo, pois o sistema de Gurps tem vida própria. Ele se mantém sem precisar de suplementos. Ter, sempre é bom, mas não é necessário [pelo menos não acho que seja] para que o sistema funcione.

Um sistema, para ser um bom OGL, na minha humilde opnião, tem que ser algo que não tenha sido criado ainda [isso falando de sistemas e não de cenários].

O Gurps Vampire: the Masquerade foi muito interessante, mas um Vampiro: a Máscara OGL [por exemplo] seria algo totalmente incoerente, pois as regras da SRD não foram feitas para esse fim. Gurps fez isso com vários outros sistemas, utilizando somente sua ambientação, mas somente as suas regras. Já o SRD teria que sofrer as mais variadas mudanças para comportar um outro sistema dentro de si próprio. Assim como aconteceu com Star Wars D20, BESM D20, D20 Modern, Pathfinder, e tantos outros. Todos são considerados D20 System, mas nenhum deles se parece com o sistema original.

Gurps é feito para simular a realidade [afinal de contas, a vida imita Gurps, né?!] e seu conceito não se encaixaria nesse perfil.

Quem sabe apareça um louco e faça isso e quem sabe aparecem outros loucos e gostem? Eu pegaria ele na net para ler e daria meu parecer, mas acho que dificilmente gostaria.

Samuel L. Jackson agora é Nick Fury…

A Marvel Entertainment contratou o ator Samuel L. Jackson para atuar como o personagem Nick Fury em diversos filmes que irão estrear ano que vem. Entre os longas esperados estão Homem de Ferro 2, Capitão América, Thor, Vingadores e possivelmente o filme da S.H.I.E.L.D., desta vez como protagonista (óbvio).

Serão nove filmes no total. Nick Fury é o líder da S.H.I.E.L.D., equipe de inteligência, espionagem e persuasão (pra não dizer truculência) que atua dentro e fora dos EUA. Ele apareceu no filme do Homem de Ferro, estrelado por Robert Downey Jr.

Fonte: Revista O Grito

Monografia de Sarah Roberto V

O RPG como instrumento de sociabilidade.

A sociedade contemporânea é caracterizada pela atomização, isolacionismo e atividades práticas e rápidas. Por outro lado, há um crescente despertar para associações, para a formação de grupos.

A “sociabilidade aparece como a qualidade de sociável”, aquele indivíduo que gosta de se associar com outros, seja com este, para este ou até se tornando inimigos.

Estas relações de trocas e vivências coletivas – aprendendo a conviver com as diferenças – são essenciais para se conseguir viver em sociedade.

Embora se acredite ser melhor a sociabilidade entre pessoas de um mesmo estrato social, defendo a possibilidade de deixar de lado as diferenças sócio-econômicas e, penetrando no “faz-de-conta” do jogo, sociar-se com os diferentes, tendo o RPG em si como um instrumento facilitador destas relações. O sucesso da sociabilidade não é o ganhar o jogo, mas o momento ali, de interação com as outras personagens dos outros jogadores na trama da historia.

Quando os indivíduos deixam de ser um mero ajuntamento de pessoas e agregam um interesse em comum para a satisfação do grupo, na sociação com o outro dentro das várias formas possíveis, constroem neste instante uma sociabilidade. As personagens criadas para viver longas aventuras com os seus diferentes refletem através das suas relações, dos conflitos gerados e no desenvolver de um trabalho de equipe, a interação do grupo de jogadores em questão, influenciando as possíveis identificações com o mesmo.

Eles, juntos há quase dois anos e meio, sempre estão procurando melhorar a “jogabilidade” do grupo. Embora, o momento de três ou quatro horas jogando não seja um motivo perceptível para suas existências, ali é um instante que eles possuem para extravasar suas emoções, para explorar as possibilidades e sair da frieza que nos impera diversos outros meios de lazer.

Enquanto eles estão jogando, existem constantemente no agir das personagens, ou nas sessões com apenas diálogos e interpretação, muitas trocas de bagagens pessoais.

No ouvir e narrar as histórias surgem espaços para reflexões sobre valores individuais, além da possível inserção dos mesmos no desenvolver das reações das personagens.

“[…] em meio a tudo, a todas as complicações que ocorrem, o grupo se mantém sempre unido. Aqueles jogadores com seus personagens estão ali unidos. E eu acho que isso acaba ensinando sim pros próprios jogadores, ensinando o valor de você, digamos assim ter amigos, o valor de você estar unido com esses amigos, o valor de você cooperar em grupo, o valor de você parar para ouvir o que o mestre está dizendo, porque é só se você parar e ouvir que você sabe o que está ocorrendo. Tem todos esses pequenos detalhes, tipo você saber cooperar […], buscar ser capaz de antecipar uma ação para já traçar sua estratégia e poder ultrapassar aquela dificuldade, tem a questão também de muitas vezes você ter de sacrificar o seu personagem, ter que sacrificar a evolução dele no jogo para poder salvar a vida do personagem de um amigo.” (Paulo, 26 anos).

Na dinâmica do jogo do sistema AD&D e D&D, o grupo, o amigo, a honra de ajudar o outro é muito forte e notória. Quando assistimos ao filme “O Senhor dos Anéis”, percebemos as lições de amizade, de companheirismo e de lealdade nos personagens. Temas não tão discutidos na nossa sociedade utilitarista, ou em outros lazeres. Presenciando uma das sessões, chamou bastante a minha atenção, quando as personagens haviam chegado num povoado de elfos e dentro do grupo havia um drow. Geralmente, qualquer ser vivo tem medo de um drow, por que eles são espécies de elfos levados para o “lado negro da força”, muito maus e sem misericórdia [generalizando, não sendo totalmente fiel ao roleplay do RPG]. Porém, o drow que se encontrava com o grupo havia passada por uma fase de restauração de sua vida, estava arrependido pelos seus maus atos e estava disposto a seguir outro caminho. Ele era bastante leal ao grupo e este o defendia a todo custo. Desta forma, ao entrar no povoado dos elfos, ele logo foi rejeitado, e após muitas explicações e defesas em seu favor pelo grupo, permitiram que ele permanece naquele local, aparentemente sagrado.

Como esta cena dentre outras, podemos perceber que enquanto estão jogando, por meses ou anos, os vínculos fortalecidos e a confiança estabelecida, as personagens refletem sobre assuntos que vivemos no dia-a-dia, em contextos e mundos diferentes, mas a essência das circunstancias é a mesma. É inevitável para uma pessoa de fora observar que esse lazer proporciona mais do que a diversão. As emoções são reais, assim como as reflexões.

Minha curta aventura de três meses como Sariel, uma meia elfa, mesmo travando uma luta constante para me manter neutra, ainda assim me influenciou bastante, fazendo-me refletir sobre minhas atitudes e sentimentos guardados. Fiz o perfil da minha personagem exaltando aspectos que eu não tenho. Alguns jogadores seguem uma tendência mais próxima da sua personalidade para facilitar a interpretação; outros aceitam o desafio de interpretar algo diferente deles mesmos. Eu adotei uma linha que valoriza o aspecto psicológico da personagem.

O pouco tempo que passei com este grupo, serviu para quebrar vários paradigmas que eu havia construído sobre os próprios rapazes, pois já os tinha visto pela faculdade e nunca passaria pela minha mente que um dia eu teria algum convívio com eles.

É interessante a relação que o RPG, no conceito do jogo, estimula entre os envolvidos, tanto antes, durante como depois da sessão. As conversas são diversas, trocam dvd’s de filmes, discutem opiniões sobre outros jogos ou sobre desenhos japoneses. Alguns se tornam mais amigos do que outros.

Embora a maioria tenha outras formas de sociabilidades com outros grupos, eles declaram nas suas risadas e nas brincadeiras o convívio à vontade dentro deste grupo de RPG.

“O jogo de RPG facilita a sociabilidade de jovens jogadores que, muitas vezes, se conheceram formando grupos para jogar e, a partir de afinidades, tornam-se amigos.”

O desenvolvimento das personagens e o diálogo que surge através da narrativa e da interpretação são importantes elementos para se perceber essa formação de amizades, esse estreitamento de laços que se estendem além do jogo.

No próximo artigo sobre o nosso hobby visto por uma ‘ciêntista’, ela fala sobre Os elementos do jogo e suas contribuições.

Até mais…

Dia Mundial de D&D está chegando. Não perca!!!

Mais um ano passou e mais um evento de RPG vem chegando. Um evento que vai muito além das parcas fronteiras do Cariri cearense: É o Worldwide D&D GameDay, ou conhecido em nossa lingua natal como Dia Mundial de D&D.

Como não poderia ser diferente a Equipe Cariri RPG organiza-o, e traz no dia 21 de março de 2009 um evento sancionado pela RPGA (Associação dos jogadores de RPG, braço da Wizard of the Coast) e em comemoração ao Player’s Handbook 2 (Livro do Jogador II). Neste ano, a aventura é muito interessante, e leva um nome um tanto curioso: One dark night in Weeping Briar (Uma noite sombria em Urze Lamuriante). Na cidade de Urze Lamuriante muitos desaparecimentos estão acontecendo, e ninguém sabe o motivo.

Cinco jogadores de 11º ní­vel, ou seja, vocês ai do outro lado da telinha (ou da telona), tem que pela noite sombria desta cidade procurar por uma garotinha que, ao que tudo indica, é a chave para os desaparecimentos misteriosos desta cidade.

Logo no início da aventura nas mesas oficiais, vocês receberão brindes, tais como miniaturas entre outros. Durante o evento também concorrerão a vários outros brindes. O Evento é gratuito, mas já o lanche…. Bem o lanche é pago, mas ainda não foi definido o preço.

Por isso, peguem sua carteira RPGA/DCI, corram para a RRFSA, local do Dia D RPG 2008 e de outros eventos de RPG, a partir das 09:00 da manhã e ajude a esta garotinha a resolver o mistério nesta aventura que mistura suspense, mistério e investigação.

Alguém deve estar se perguntando ai do outro lado da tela: “Mas eu não gosto de D&D, o que eu vou fazer lá?”

Também haverá um Campeonato de Magic, com o estilo a ser definido ainda. E se você também não gosta de Magic: The Gathering, pode levar seus amigos e jogarem outros jogos de cartas, narrar seu próprio sistema, ou jogar outros sistemas de RPG (Vampiro: a Máscara, Lobisomens: Os Destituí­dos, Mundo das Trevas, Tormenta D20, 3d&t, etc.)

Para reforçar:

Evento: Dia Mundial de D&D
Data: 21 de março de 2009
Local: Largo da RFFSA (em frente a Praça Cristo Rei ou Praça dos Pombos, o último ponto de ônibus inter-municipal)
Iní­cio: 09:00
Entrada: Gratuita!

Só não deixem de ir!

Equipe Cariri RPG

Fim de uma parceria…

Infelizmente a primeira notícia pós-carnaval é sobre o fim de uma parceria.

Como disse o Emilson, do RPG sem Compromisso, a parceria teve fim, por a gente não concordar em muitos pontos de vista.

Não vou discutir sobre isso aqui, mas sinto muito pela perda. Só deixo avisado para o amigo Emilson e para os que interessarem, que sinto muito mesmo pela perda, mas funciona como diz o ditado: “Quando um não quer, dois não brigam”…

Sem mais, até a próxima…