[Resgate RSC] Buraco Negro

Antigamente eu tinha um blog de nome RPG SEM COMPROMISSO (RSC). No dia 27 de janeiro de 2009, escrevi o texto que apresento novamente, dessa vez nesse blog – Zona Neutra. Como esta escrito no título do post, estamos resgatando palavras a muito tempo perdidas. Fiquem a vontade para comentar, ler, ignorar, ou faça o que veio fazer.

E se abrir um buraco negro no planeta?

Essa questão surge por causa do Grande Colisor de Hadros, um túnel redondo, de 27 quilômetros de circunferência (WoW!!!), enterrado 100 metros debaixo da terra na fronteira da Suíça com a França. Lá os cientistas estão acelerando feixes de prótons a 99,99% da velocidade da luz em direções opostas, para que se choquem. O resultado são 40 milhões de trombadas por segundo – que podem gerar, entre outras coisas, buracos negros. Mas não são aqueles corpos celestes enormes, com densidade tão intensa que engolem tudo o que estiver ao seu redor, inclusive a luz. Os buracos negros criados por humanos são realmente minúsculos.

Segundo Michelangelo Mangano, físico do Cern, centro de pesquisa onde o LHC (sigla em ingles de Grande Colisor de Hadros) foi instalado, o buraco negro não teria tamanho para fazer mal a ninguém. Além disso, não viveria mais de 0,0000000000000000000000000001 (são 27 zeros depois da vírgula); segundo, por que, como todos os outros buracos negros, emitiria radiação e evaporaria.

Mas vamos supor que ele, em vez de evaporar, se mantenha estável. Aí o buraco pode devorar a terra? A resposta é não de novo. Nosso miniburaco negro teria sido criado quase à velocidade da luz e continuaria a passear nesse ritmo se não desaparecesse. Assim, em menos de 1 segundo, ele atravessaria as paredes do acelerador e se afastaria da terra, em direção ao espaço. A única maneira de ele permanecer por aqui é se a sua velocidade for reduzida a 15 km por segundo. Vamos supor que isso acontece também.

Ai sim: por causa da gravidade , ele caminharia para o centro da terra. Mas continuaria sendo ínfimo e nada perigoso. Para que virasse uma ameaça, seria preciso ganhar massa e crescer, e isso só aconteceria se o buraco negro começasse a engolir matéria. O problema é que quem tem o tamanho de um próton passa facilmente pelo interior da terra sem trombar em nada – não parece, mas o mundo ultramicroscópico é quase todo formado por vazio. Na verdade, ele só encontraria um próton para somar à sua massa a cada 30 minutos a 200 horas de passeio. Ou seja, poderia demorar até 8 dias! aí complica: “Para o buraco negro chegar a ter 1 miligrama, levaria mais tempo do que a idade atual do universo”, diz o físico Alexandre Suaide, da USP.

Assim mesmo que o buraco negro criado na Cern não evaporasse e não fugisse para o espaço, ele não conseguiria crescer o suficiente para se tonar ameaça a tempo de acabar com o planeta antes disso: em 5 bilhões de anos, quando o Sol explodir.

Mas e se… Um buraco negro vindo do espaço caísse na terra?

Bom, ele não “cairia” aqui. A Terra é que cairia nele. Um buraco negro do tamanho de uma bola de pingue-pongue teria uma massa maior que a do nosso planeta, então iria atraí-lo. E a Terra começaria a orbitar o buraco. O primeiro sintoma para nós seria o fim dos dias e noites do jeito que conhecemos. Quanto mais rápido a terra girasse em volta dele, menos iria durar os dias e noites. Depois, continuariamos sendo puxados pelo buraco negro, nos aproximando dele num caminho em forma de espiral. Quando a Terra chegasse à borda do buraco, a atração de um lado seria tão maior que no outro que o planeta arrebentaria. E a matéria que antes formava a Terra ficaria toda esticada, até se transformar em uma nuvem cumprida e enrrolada ao redor do buraco. Antes de ser estragado, o ex-planeta acabaria com um formato mais ou menos parecido com o da nossa galaxia, que, por sinal, está agora mesmo girando em volta de um buraco negro – só que um dos grandes, que pode ter um diâmetro quase 130 vezes maior que o Sol.

Texto tirado da revista SuperInteressante, nº 253 de junho de 2008. Assinado por Karin Hueck (um pouquinho modificado).

Agora o RPG:

Podemos tirar desse texto várias idéias para aventuras de Rpg. Pelo menos assim posso visualizar. Imaginem a quantidade de situações que podem surgir se um buraco negro atingisse a terra. Existiria um tempo para os personagens tentarem evitar que a terra seja destruida, mas claro que essa parte, de como os personagens fariam isso, deixo a cargo dos fãs de Viagens Espacial. Enquanto isso uma mudança drástica ocorreria com a terra: clima, tempo de duração do dia e da noite alterados, entre outras coisas que meu conhecimento do universo não permitem dizer.

E se o buraco negro se forma-se dentro da terra o Narrador poderia estabiliza-lo em sua aventura e acelerar o processo de crescimento dele, dando um tempo para os personagens tentarem evitar que a terra seja engolida pelo buraco negro quando ele ganhar tamanho suficiente para isso. É possivel utilizar as proprias instalações do Cerns, que deve ser imenso.

Existe ainda a possibilidade dos cientistas (que podem ser os personagens ou não) estabilizarem o buraco negro e que ele tenha alguns efeitos colaterais extremos: mudanças na condição do planeta (de novo, mas sem o risco de destruí-lo), ser um portal que leva para uma dimensão paralela de puro sofrimento (ou não), pode ser um portal de viagem no tempo, entre outras possibilidades.

Sei que pode parecer uma viagem muito longa da minha cabeça, mas que disse que o rpg não pode ser assim? Por isso mãos a obra e tenham suas idéias e vamos desenvolver essa idéia juntos.